INSTITUCIONAL

VoltarNOTÍCIAS

Investidor precisa ter algum grau de tolerância a risco
Fonte: O Estado de São Paulo | 20/11/2000

Os fundos multicarteira podem ser interessantes para investidores com alguma tolerância ao risco que procuram, por meio de incursão em uma carteira diversificada, rentabilidade superior à de instrumentos tradicionais de renda fixa. Essa é a opinião de Maxim Wengert da Quantum - Avaliação de Fundos de Investimento.

No entanto, Wengert diz que é impossível saber o momento ou o cenário ideal para investir nesses fundos. "Como a carteira pode ser composta por títulos de renda fixa e ativos de renda variável, o importante é que o investidor analise a qualificação do gestor, observando se ele tem capacidade de avaliar o mercado e fechar bons negócios no momento mais conveniente".

Além disso, como esse tipo de fundo pode apresentar diferentes níveis de exposição ao risco de acordo com a composição da carteira, antes de decidir-se por ele o investidor deve ficar atento aos objetivos do fundo, aos meios pelos quais o gestor se propõe a alcançá-los, aos principais fatores de risco relacionados ao fundo e como eles são controlados, explica o analista.

Wengert diz ainda que, dependendo das aplicações em fundo que o investidor possui, o multicarteira pode proporcionar melhores resultados quando considerado o Imposto de Renda. Vamos comparar um investidor que participa de dois fundos, um deles cambial e o outro de renda fixa, com um aplicador que tem contas de um multicarteira ancorado em títulos cambiais e de renda fixa. Segundo ele, é possível observar o benefício fiscal obtido pelo segundo investidor nos momentos que os fundos cambiais perdem valor. No primeiro caso, todo o ganho em renda fixa será tributado. No segundo, apenas a parte da renda fixa que superar a perda com dólar é que será tributada. (A.B.)