INSTITUCIONAL

VoltarNOTÍCIAS

Uma década de ganhos no mercado
Fonte: Valor Econômico | 10/04/2003

São muito poucos os fundos que possuem um histórico de pelo menos dez anos. Bem menor ainda é o grupo dos que conseguem atravessar esse período com excelentes ganhos.

Em comemoração aos dez anos de vida do seu IP Participações, a Investidor Profis-sional encomendou um levantamento à Fundação Getúlio Vargas (FGV), que analisou o comportamento dos 63 fundos de ações que existem desde fevereiro de 1993. A conclusão é que somente quatro deles tiveram um rendimento acumulado superior a 50% em dólar.

Na liderança do ranking está a Investidor Profissional (IP), cujo carro-chefe, o fundo IP Participações, acumula ganhos de 347% em dólar entre fevereiro de 1993 e fevereiro de 2003. O BBM ocupa a segunda posição com o BBM Ações, cuja rentabilidade nesses dez anos é de 198,6%. Daí para frente há quedas sucessivas de patamar: dois fundos do CCF (hoje incorporados ao HSBC) acumulam ganhos de 61,2% e 55,7%.

"O que nos deixa ainda mais orgulhosos é que, na verdade, na época havia mais fundos, os analisados foram apenas os que sobreviveram por mais tempo", diz Pedro Chermont, da IP, que divulga o resultado do estudo da FGV hoje, numa festa comemorativa aos dez anos do fundo.

De acordo com a Associação Nacional dos Bancos de Investimentos (Anbid) cerca de 130 fundos com idade superior a dez anos, metade são voltados para o investimento em ações. Como a era dos juros altos ainda estava por começar, a indústria da renda fixa e dos populares DIs ainda era minúscula.

Um outro estudo, realizado pela Quantum, consultoria especializada em fundos, mostra que a vida desses produtos no Brasil ainda costuma ser curta. De 244 fundos de ações que existiam em 1996, apenas 93 sobrevive ram até 2000.

A conclusão do estudo é que os fundos com desempenho pior acabam desaparecendo numa espécie de seleção natural dentro da indústria, e que é importante analisar se o fundos conseguem superar seus 'benchmarks' (referenciais) de forma consistente. Esses são os que têm mais chance de ter vida longa.

A média anual dos retornos de todos os fundos nos quatro anos analisados pela Quantum foi de 36%, enquanto a média dos 151 fundos que foram encerrando suas operações ao longo desse período foi de apenas 13%.