INSTITUCIONAL

VoltarNOTÍCIAS

Na rede: Internet ajuda a acompanhar resultados
Fonte: Folha online | 25/10/2004

Na era do internet banking, sem incidência da CPMF, o trânsito do investidor por diferentes produtos financeiros ficou mais tranqüilo. Porém, faltava a comodidade do acesso on-line às aplicações feitas.

Apostando nesse novo nicho de mercado, algumas empresas acabam de lançar ferramentas que permitem a impressão, a qualquer hora do dia, das cotas atualizadas dos fundos ou da carteira de ações, como se fosse o extrato de uma conta corrente.

Há três meses, o aplicativo on-line MyPortfólio passou a ser fornecido à Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo), às corretoras e aos participantes dos clubes de investimentos. Atualmente, a MyPortfólio tem 23 clubes cadastrados, que pagam uma taxa de R$ 100 para ter acesso à ferramenta. "A Bovespa nos comunica, e nós cadastramos o clube", diz o gerente da área de processamento da MyPortfólio, Marcelo Xavier Rodrigues.

Após entrar no site e digitar o login e a senha de acesso, o integrante do clube poderá ver as ações presentes na carteira do clube, imprimir relatórios de movimentação, cotas diárias, números e gráficos de rentabilidade. "O investidor pode tirar um extrato com a posição dele, como se fosse o de uma conta corrente no banco", explica Rodrigues.

O aplicativo MyPortfolio, desenvolvido pela YMF, fornecedor líder em sistemas e serviços para administradoras de recursos no mercado, veio atender a um antigo anseio das corretoras, que reclamavam dos custos administrativos dos clubes. Faz parte das despesas o envio de extrato para cada um dos cotistas, indicando cotas e rentabilidade.

Controle on-line

Algumas ferramentas são on-line, permitindo a impressão de extratos consolidados de diferentes aplicações: ações, fundos, commodities, enquanto outras precisam de programas de instalação ou download.

No caso do MyPortfólio, além de renda variável (ações, opções e futuros), é possível acompanhar o saldo de aplicações em renda fixa (CDB, títulos públicos, debêntures), "swap", fundos de investimento, contas correntes e outros ativos, como imóveis.

Há sete anos no mercado, a Refran Invest, prestadora de serviços de gestão e alocação de recursos, contratou os serviços do MyPortfólio no começo de 2004. Antes os dados das aplicações dos clientes eram consolidados em planilhas Excel, e depois o extrato era enviado pelos Correios.

"Hoje, eles acessam as informações on-line e não precisam ligar toda semana para perguntar a posição de cada aplicação", afirma o sócio-diretor da Refran Francisco Brant de Carvalho. Pelo serviço on-line os clientes da Refran Invest não pagam nada. Atualmente, a Refran distribui fundos de cerca de 15 instituições.

Bancos

A Caixa Econômica Federal (CEF) foi a primeira instituição a fechar parceria com o site financeiro Dinheironet para oferecer aos seus clientes o Organizator Invest, aplicativo que fica disponível no internet banking. "É um meio de a instituição oferecer um serviço adicional para agradar ao cliente", afirma a diretora da Dinheironet, Elaine Restier.

Na prática, o cliente pode ver o Organizator Invest ao acessar a página do banco. As informações das outras instituições (aportes, data e produto) têm de ser inseridas pelo próprio investidor.

A partir daí, passam a ter atualização on-line. "A ferramenta mostra os ganhos acumulados pela pessoa durante o período de sua aplicação, enquanto os extratos enviados à casa do investidor mostram a rentabilidade anual do fundo", afirma Elaine.

O site financeiro Fortuna também oferece aos seus clientes acompanhamento pela internet de todos os fundos do mercado. Nele, o usuário pode selecionar fundos em uma carteira e acompanhar a rentabilidade deles. "A pessoa escolhe o fundo e digita na planilha a data e os aportes ou resgates feitos", afirma o sócio do site Fortuna Marcelo D'Agosto.

Outro aplicativo que também permite a composição de carteiras de fundos e o acompanhamento da rentabilidade delas é o Quantum Axis, desenvolvido pela Quantum Avaliação de Fundos de Investimentos. "Além da análise quantitativa, o software contém informações qualitativas sobre o gestor e sobre a carteira", explica o sócio da Quantum Maxim Wengert.

Facilidade

O gerente-geral do Instituto Nacional de Investidores (INI), Paulo Portinho, afirma que os cerca de 400 associados do instituto têm dificuldades para acompanhar as carteiras. "Normalmente, eles têm investimentos em duas ou três corretoras", diz.

Ao mesmo tempo, dificilmente conseguem contratar sozinhos os grandes pacotes de serviços de análises, de informações e de operações oferecidos por empresas especializadas. Portinho explica que algumas empresas chegam a cobrar R$ 300 mensais pelo pacote. "Para um investidor que tem R$ 50 mil aplicados em ações, o preço do serviço é alto", afirma.

Atualmente, o INI está estudando propostas. "Acreditamos que até dezembro algum tipo de ferramenta que permita o acompanhamento das aplicações esteja disponível no site do INI aos associados", diz Portinho.

Como os associados do INI já pagam uma anuidade que pode variar de R$ 86,00 a R$ 150,00, o instituto pretende oferecer a ferramenta a um baixo custo, ainda em negociação.