INSTITUCIONAL

VoltarNOTÍCIAS

Santander lança fundo de ações da Petrobras
Fonte: Gazeta Mercantil | 25/04/2008

O Banco Santander abriu para captação o fundo Santander Petrobras VIP FI Ações, que tem como objetivo oferecer a possibilidade de rentabilidade superior ao CDI, no prazo de seis meses, até o dia 24 de outubro.

O fundo irá pagar uma taxa prefixada, que será definida no encerramento da captação, entre 120% e 125% do CDI, caso as ações da Petrobras apresentem valorização ou queda de até 15% do valor registrado no início da operação do fundo. "Esse produto permite ao investidor obter retorno de renda fixa em um fundo de ações , além de ter a oportunidade de levar os papéis da empresa com desconto", afirma Alexandre Silvério, superintendente de gestão de fundos do Santander Asset Management.

Caso as ações da empresa registrem uma desvalorização superior ao percentual estabelecido, o investidor receberá as ações da Petrobras, mais o pagamento de juros. "A carteira será lastreada em ações da Petrobras, e o dinheiro da venda de opções desse papel será aplicado no mercado de juros futuro em contratos de DI ", explica Silvério.

Distribuído para todos os segmentos de clientes, inclusive para a rede de varejo, o fundo cobra taxa de administração de 3% ao ano e aplicação mínima de R$ 25 mil, segundo relatório de fundos da consultoriaQuantum. Além disso, não permite resgates antes do prazo de vencimento.

Conforme Silvério, com o aumento da volatilidade no mercado de ações, esse tipo de produto inovador tem um grande apelo entre os investidores. O banco já havia testado essa estrutura com o fundo voltado para aplicações em ações da Vale, o Santander FI Vale Plus Ações. "Nós já realizamos quatro captações desse fundo neste ano, que levantaram um volume de cerca de R$ 370 milhões", afirma Silvério.

O fundo focado em ações da Vale também tem duração de seis meses, e aplicação mínima de R$ 25 mil. Segundo Silvério, esse produto oferece uma taxa prefixada entre 130% e 135% do CDI. O mecanismo de funcionamento também é parecido com o fundo da Petrobras . Se na data de vencimento do fundo, a ação da Vale tiver caído mais de 15% em relação ao valor registrado no início da aplicação, o investidor fica com as cotas do fundo de ações, mais o pagamento de juros prefixado. Se o papel tiver caído menos de 15% ou apresentar valorização, o investidor leva apenas o pagamento de juros e a carteira passa a funcionar como um fundo de renda fixa.

Muito utilizado nos Estados Unidos, esse tipo de operação começa a se desenvolver no Brasil.

De acordo com Silvério, a escolha das ações da Petrobras e da Vale se deve a grande liquidez desses papéis nas negociações no pregão regular e no mercado de opções. Antes distribuídos apenas para os clientes do segmento private, hoje esses fundos também são oferecidos para a rede de varejo do banco Santander.

Silvério destaca que a vantagem desse tipo de fundo é oferecer aos investidores uma remuneração maior e a média das carteira de fundos de renda fixa e DI. "É uma forma de os investidores entrarem em renda variável de maneira mais conservadora, com a garantia de um rendimento de renda fixa", diz Silvério.

No ano, até o dia 24 deste mês, os fundos de ações apresentavam resgate de cerca de R$ 15 bilhões, enquanto as carteiras de renda fixa estavam com captação líquida de R$ 10,3 bilhões e os fundos DI com aporte de R$ 12 bilhões, segundo dados da Anbid (Associação Nacional dos Bancos de Investimento).